Viana é Amor

As origens de Viana do Castelo remontam à Idade do Ferro, como confirma a Citânia erguida nessa altura no Monte de Santa Luzia. Mas a sua História, sempre ligada aos mares, relata um conjunto de acontecimentos que fizeram de Viana um dos principais portos comerciais do país. Em 1258, 
D. Afonso III concedeu-lhe o primeiro Foral, chamando-lhe Viana da Foz do Lima, antevendo assim a sua vocação marítima. Mais tarde, a 20 de Janeiro de 1848 e por decreto de D. Maria II, Viana é elevada a cidade e adopta o nome pelo qual é conhecida hoje: Viana do Castelo.
Plena de História, a cidade conta com inúmeros pontos de interesse cultural e turístico, aos quais se juntam o mar, o rio e a montanha, os três ecossistemas intimamente ligados à cidade e à sua História.

Viana é Mar

Viana do Castelo, ao longo dos seus 24 quilómetros de costa litoral, tem vindo a ver reconhecido o valor patrimonial, natural e paisagístico das suas praias que, por seu lado, têm sido alvo de diversas intervenções de qualificação e valorização.
Esta especial atenção reflecte-se nos vultuosos investimentos que vão da requalificação das praias à defesa dos cordões dunares e da respectiva flora e à organização de campanhas de educação que visam estimular a conservação, valorização e defesa do litoral vianense.

Viana - Cidade Náutica

Viana do Castelo tem vindo a ser galardoada com a bandeira Azul, símbolo máximo da qualidade das praias e, agora, o litoral de Viana do Castelo pretende tornar-se um “Território de Excelência” com a implementação do denominado polis do Litoral norte – operações de requalificação e Valorização da orla Costeira.
Este ambicioso plano reconhece a importância estratégica da zona costeira e considera que as intervenções no litoral devem prosseguir objectivos concretos de modernidade e inovação, tais como a valorização dos aglomerados populacionais, a beneficiação das vias de acesso e reordenamento das áreas de estacionamento, a protecção costeira, para além de uma ciclovia, da criação de apoios de prática balnear e de apoio à prática desportiva náutica.

Viana é Modernidade

A prestigiada revista londrina Wallpaper, uma referência incontornável do design e da arquitectura, considerou Viana do Castelo uma “Meca da Arquitectura”, numa clara referência aos novos edifícios construídos na cidade e de onde se destacam a Praça da Liberdade de Fernando Távora, a biblioteca de Siza Vieira, o “inovador” Hotel Axis e o Centro Cultural de Souto Moura.
“Uma cidade marítima portuguesa está a ser transformada numa Meca da Arquitectura com uma colecção de edifícios ao gosto de Fernando Távora, e agora a chegada de um Hotel inovador em pilha”, refere a Wallpaper, salientando que os edifícios são “fonte de orgulho municipal”, com destaque para a nova biblioteca Municipal, desenhada em betão branco por Álvaro Siza. “A biblioteca domina uma praça planeada por Fernando Távora – mentor de Siza Vieira e fundador da prestigiada Escola de Arquitectura do porto”, fazendo ainda referência aos “dois edifícios ambiciosos” situados na praça da Liberdade.
De destaque é também o Centro Cultural. Da autoria do Arquiteto Souto Moura, este equipamento é caracterizado pela transparência entre a cidade, o rio e o interior do edifício. Está preparado para acolher eventos de grande dimensão como festivais de música, concer- tos, cinema, congressos, exposições e feiras, para além de atividades desportivas.

Viana é Turística

Num cenário natural de indescritível beleza, a cidade de Viana do Castelo está destinada ao turismo, com um conjunto de espaços dedicados à recepção e acolhimento de quem visita Viana do Castelo e quer conhecer a sua cultura, a sua arte e as suas tradições.

Museu de Artes Decorativas
De destaque são os museus e o seu riquíssimo acer- vo e ainda os núcleos museológicos espalhados pelas freguesias e dedicados às tradições. o Museu de Artes Decorativas está instalado numa distinta mansão senhorial do século XVIII e possui uma das mais importantes e valiosas colecções de faiança antiga portuguesa dos séculos XVII a XIX, que inclui diversas peças da famosa fábrica de louça de Viana. para além de um importante acervo de pintura, de- senho e peças de arte sacra, destaca-se a bela colecção de mobiliário indo-português do século XVIII. neste espaço, é possível ainda descobrir o espólio da azulejaria portuguesa e hispano-árabe, único na sua variedade e riqueza.

Museu do Traje
Situado num espaço nobre da cidade — a praça da república — está o Museu do Traje, instalado num edifício Estado novo recuperado e que alberga um excelente espólio de trajes e de ourivesaria tradicional, promovendo, valo- rizando e recuperando um valioso património concelhio. Com esse mesmo objectivo, foi criado um conjunto de núcleos museológicos, nomeadamente as Azenhas de D. prior, onde está situado o Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental de Viana do Castelo (que integra a rede portuguesa de Moinhos) ou o Museu do pão de outeiro, situado na antiga escola primá- ria e que mostra todas as alfaias agrícolas do ciclo do milho e do pão e que integra também um moinho de água.

Viana do Castelo é ainda a descoberta de uma rota de galerias e museus, festas e tradições, artesanato, ourivesaria e, claro, gastronomia.

Navio Gil Eannes

O navio gil Eannes foi construído nos Estaleiros navais de Viana do Castelo em 1955 tendo como missão apoiar a frota bacalhoeira nos mares da Terra nova e gronelândia. Embora a sua principal função fosse prestar assistência hospitalar a pescadores e tripulantes, o gil Eannes foi também navio capitania, navio correio, navio rebocador e quebra-gelos, garantindo abastecimento de mantimentos, redes, isco e combustível aos navios da pesca do bacalhau. Em 1998, veio para Viana do Castelo para se tornar memória viva do passado marítimo e da construção naval da cidade e também do país como museu.
No gil Eannes está também instalado o Centro de Mar. Desta nova componente, destaca-se as áreas para serviços do Centro de Mar, Centro Interpretativo Ambiental, que inclui um percurso museológico e interpretativo sobre a cultura marítima de Viana do Castelo, e Centro de Documentação Marítima e o novo espaço foi dotado, entre outras valências, de equipamentos multimédia, um miniauditório, a possibilidade de acesso a consultas, áreas de apoio ao empreendedorismo e economia náutica e diversas experiências audiovisuais interativas.

Viana é cor

O concelho é rico em tradições e o traje tradicional de Viana do Castelo é mesmo um símbolo do país, reconhecido como marca em portugal e no estrangeiro pelo colorido e originalidade das suas peças. De destaque é também a ourivesaria de Viana, enquanto retrato fiel das suas tradições. As arrecadas, as custódias, os brincos à rainha, as laças, os trancelins e os fios em filigrana elaborada são parte integrante do nome da cidade, intimamente ligado ao traje à vianesa e à imagem da cidade.

Viana é Cultura

A música faz parte da vida da comunidade Vianense, assumindo um simbolismo especial no acolhimento dos seus visitantes. A diversidade dos grupos etnográficos é igualmente acompanhada pelas escolas de música que florescem no concelho, formando músicos de qualidade que integram orquestras, bandas e conjuntos musicais responsáveis pela variada animação cultural.

| Kitesurf & Windsurf | Viana World Cup | 07 - 20 Junho 2018 |